domingo, 18 de dezembro de 2011

O Cristão e a bebida alcoólica !!!



A palavra grega para "vinho", é oinos.
Oinos pode referir-se a dois tipos bem diferentes de suco de uva:
suco não fermentado, e vinho fermentado ou embriagante. 


Esta definição apóia-se nos dados abaixo:

(1) A palavra grega oinos era usada pelos autores seculares e religiosos, antes da era cristã e nos tempos da igreja primitiva, em referência ao suco fresco da uva (ver Aristóteles, Metereologica, 387.b.9-13).
(a) Anacreontes ( 500 a.C.) escreve: "Esprema a uva, deixe sair o vinho [oinos]" (Ode 5).
(b) Nicandro (século II a.C.) escreve a respeito de espremer uvas e chama de oinos o suco dai produzido (Georgica, fragmento 86).
(c) Papias (60-130 d.C.), um dos pais da igreja primitiva, menciona que quando as uvas são espremidas produzem "jarros de vinho [oinos]" (citado por Ireneu, Contra as Heresias, 5.33.3 - 4).
(d) Uma carta em grego escrita em papiro (P. Oxy.729; 137 d.C.), fala de "vinho [oinos] fresco, do tanque de espremer" (ver Moulton e Milligan, The Vocabulary of the Greek Testament, p. 10).
(e) Ateneu (200 d.C.) fala de um "vinho [oinos] doce", que "não deixa pesada a cabeça" (Ateneu, Banquete, 1.54).

(2) Os eruditos judeus que traduziram o AT do hebraico para o grego 200 a.C. empregaram a palavra oinos para traduzir varias palavras hebraicas que significam vinho.
Noutras palavras, os escritores do NT entendiam que oinos pode referir-se ao suco de uva, com ou sem fermentação revelando que oinos pode significar vinho fermentado, ou não fermentado.
Em Ef 5.18, o mandamento: "não vos embriagueis com vinho [oinos]" refere-se ao vinho alcoólico.
Por outro lado, Em Ap 6.6, oinos refere-se as uvas da videira como uma safra que não deve ser destruída.
Logo, para os crentes dos tempos do NT, "vinho" (oinos) era uma palavra genérica que podia ser usada para duas bebidas distintivamente diferentes, extraídas da uva: o vinho fermentado e o não fermentado.



O casamento que Jesus transformou água em vinho lá em João 2 era vinho ou era o puro suco de uva?
Realmente nos casamentos antigos em outros textos bíblicos, nós percebemos que realmente era servido o vinho alcoolico, mas será que Cristo realmente transformou a água em vinho alcoólico?




Vamos analisar isso a luz da bíblia então para crermos que Cristo transformou a água no mais puro suco de uva: 
Pv.23.29 (NTLH) Quem é que grita de dor? Para quem são as tristezas? Quem é que vive brigando e se queixando? Quem é que tem os olhos vermelhos e ferimentos que podiam ter sido evitados?
30 É aquele que bebe demais e anda procurando bebidas misturadas.
31 Não fique olhando para o vinho que brilha no copo, com a sua cor vermelha, e desce suavemente.
32 Pois no fim ele morde como uma cobra venenosa.
33 Você verá coisas esquisitas e falará tolices.
34 Você se sentirá como e estivesse no meio do mar, enjoado, balançando no alto do mastro de um navio.
35 Então você dirá: “Alguém deve ter batido em mim; acho que levei uma surra, mas não lembro. Por que não consigo levantar? Preciso de mais um gole.”        
Descreve claramente a situação de um bêbado.
                                                                                                                         
Se a bíblia diz versículo 31 que não é nem para olharmos para uma bebida alcoolica,  então é errado beber socialmente. O álcool destrói o templo do Espirito Santo, que é nosso corpo, neurônios, fígados e rins.
1Co3. 16 Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?
17 Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.

Isaias 65.8(RA)- Assim diz o SENHOR: Como quando se acha vinho num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos e não os destruirei a todos.

Virão a diferença? Em provérbios diz que não é nem para olharmos para o vinho e em Isaias para não desperdiçar pois a benção nele, ambos usam a palavra vinho, só que um para o vinho da garrafa fermentado e outro para o vinho do cacho natural onde a benção há nutrientes nele. O fermentado ela condena e outro ela aprova.

A palavra vinho na tradução se refere tanto ao suco de uva fermentado como o não fermentado.

Pv20.1 Quem bebe demais fica barulhento e caçoa dos outros; o escravo da bebida nunca será sábio.
Efesios5.18 E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito,

A evidência principal está em:
Habacuque 2.15 Ai de você, pois dá ao seu companheiro vinho misturado com drogas! Ele fica bêbado, tira a roupa, e todos o vêem nu.

Ai vemos uma maldição a quem dá bebida alcoolica ao seu próximo, “Ai de você”, se cristo tivesse transformado a água em vinho alcoolico Ele cairia nessa maldição de Hc2.15 e se caísse nessa maldição Ele seria pecador e não poderia ser nosso salvador.



Segundo especialistas na área de recuperação de alcoólatras, a maneira mais segura de evitar o vício é “não tomar o primeiro gole”.
Deus jamais incentivaria um hábito que, mesmo em seu moderado uso social é responsável pelas mais dramáticas e terríveis estatísticas no que se refere à degeneração da mente, corpo e espírito dos homens e ainda o álcool é o principal causador da desordem social que vivemos, destruindo famílias e invertendo valores levando as pessoas a outras drogas e afundando-as cada vez mais em um poço sem fundo.

Em Isaias 28:7 Mas há outros que também andam tontos por terem bebido muito vinho, que não podem ficar de pé por causa das bebidas: são os sacerdotes e os profetas, que vivem embriagados e tontos. Os profetas, quando recebem visões de Deus, estão bêbados, e os sacerdotes também, quando julgam os casos no tribunal.

Você dá ouvidos a um bêbado? Isso envergonharia Deus!!! Como nós Cristão vamos libertar alguém da escravidão do álcool sendo que também estamos na mesma? Temos que ser exemplos nessa terra de um povo reto, justo e libertos.

Isaias 5.11 Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta!
12 Liras e harpas, tamboris e flautas e vinho há nos seus banquetes; porém não consideram os feitos do SENHOR, nem olham para as obras das suas mãos.
13 Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede.
14 Por isso, a cova aumentou o seu apetite, abriu a sua boca desmesuradamente; para lá desce a glória de Jerusalém, e o seu tumulto, e o seu ruído, e quem nesse meio folgava.

A bebida está relacionada com as obras da carne. Gál. 5:21 onde diz que os beberrões não herdarão o Reino de Deus.

Deus nos separou para sermos feitos filhos Seus, fomos escolhidos para esta obra.
Lc 1.15 Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte e será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno.  Aqui é declarado um escolhido de Deus João Batista, assim também aconteceu com Sansão (o nazireu) os escolhidos de Deus devem se abster totalmente de bebidas alcoolicas.

Jesus usou uma bebida fermentada ou não fermentada de uvas, ao instituir a Ceia do Senhor (Mt 26.26-29; Mc 14.22-25; Lc 22.17-20; 1 Co 11.23-26)?
Os dados abaixo levam a conclusão de que Jesus e seus discípulos beberam no dito ato suco de uva não fermentado.
(1) Nem Lucas nem qualquer outro escritor bíblico emprega a palavra "vinho" (gr. oinos) no tocante a Ceia do Senhor.
Os escritores dos três primeiros Evangelhos empregam a expressão "fruto da vide" (Mt 26.29; Mc 14.25; Lc 22.18).
O vinho não fermentado é o único "fruto da vide" verdadeiramente natural, contendo aproximadamente 20% de açúcar e nenhum álcool. A fermentação destrói boa parte do açúcar e altera aquilo que a videira produz.
O vinho fermentado não é produzido pela videira.

(2) Jesus instituiu a Ceia do Senhor quando Ele e seus discípulos estavam celebrando a Páscoa.
A lei da Páscoa em Ex 12.14-20 proibia, durante a semana daquele evento, a presença de seor (Ex 12.15), palavra hebraica para fermento ou qualquer agente fermentador.
Seor, no mundo antigo, era freqüentemente obtido da espuma espessa da superfície do vinho quando em fermentação.
Além disso, todo o hametz (i.e., qualquer coisa fermentada) era proibido (Ex 12.19; 13.7).
Deus dera essas leis porque a fermentação simbolizava a corrupção e o pecado (cf. Mt 16.6,12; 1 Co S.7,8).
Jesus, o Filho de Deus, cumpriu a lei em todas as suas exigências (Mt 5.17).
Logo, teria cumprido a lei de Deus para a Páscoa, e não teria usado vinho fermentado, nem na Santa Ceia e nem em seu primeiro milagre.
Jesus dever ser nosso exemplo, ore para que Ele te de forças para vencerdes toda tentativa de escravidão proposta pelo inimigo a nossas vidas. Que Deus os cubra com seu sangue Carmesim!!! 

Um comentário:

  1. MUITO BOM!!!
    PRECISAMOS ORAR MAIS POIS MUITOS SERVOS DE DEUS,NAO ENTENDEM A DIFERENÇA.E SEGUEM NO ERRO.DEUS TENHA MISERICORDIA.

    ResponderExcluir